quarta-feira, 10 de março de 2010

Tô morrendo, preciso dormir. Tô morta, preciso ser enterrada. Tõ enterrada, preciso virar pó.

Você disse “Oi”; eu respondi.

Você não tinha mais chiclete; eu ofereci.

Você queria andar; sentamos.

Você queria beijar; eu também.

Você naõ tinha medo; eu sim.

Você tinha algo; eu não tinha ninguém.

Você me beijou. Você me beijou.

Eu queria beijar; você não sabia mais.

Você queria correr, eu fugi.

Eu tinha você; você não tinha nada.

Eu disse “Oi”; você disse “Adeus”.

Queria que você ligasse; você não ligou.

Você queria que eu falasse; eu me calei.

Queria que o tempo passasse; você voou.

V: Vamos nos encontrar?

P: Já nos encontramos. Inclusive, já nos perdemos.

P: Mas, vamos tentar!

V: Já tentamos, mais de uma vez. Vamos parar por aqui?

P: Estamos parados há muito tempo.

V: Então, vamos deixar tudo como está.

P: Não podemos. Já mudamos tudo.

V: Vamos fazer o quê?

P: Não sei, me deixa.

V: Tá

''E tu? Tu, eu quero mais é que vá tomar no cú, e morra." Pensei eu, antes de dizer "Então tá, um beijo!"